Mitologia Khalakin


Khala: O criador, para os Khalakins (chamados pelos homens de “Os Primeiros”). Ele também é tomado como o rei que fundou o império de sua raça. Ele possuia os olhos cor-de-mel, tal como os reis da sua espécie e cabelos esbranquiçados. Ele não é tomado exatamente como um deus, mas como uma Khalakin abençoado com poderes divinos. Filho de Willa e Das, ele desceu dos céus e criou a vida quando seus pés tocaram o solo, originando animais e plantas. O primeiro bater do seu coração foi tão forte que vibrou a porção de terra onde ele estava, moldando construções, muradas e castelos, o lendário Reino Perdido de Hamallaha. Quando ele finalmente inspirou o ar e o expirou, da poeira ao redor, surgiram os Khalakins. Khala usava um elmo de crânio de dragão, que continha informações sobre todos os Primeiros que iriam um dia surgir. Para que sua raça durasse para sempre, ele fez com que os reis que viessem após ele compartilhassem da sua imortalidade. Então, ascendeu aos céus e deu o comando de Hamallaha para seu filho, Urnar.

Willa e Das: Willa, para os Khalakins, é a deusa da misericórdia, do mar e da colheita. Já Das é o deus da batalha, dos céus e da coragem. Eram representados com um único símbolo, representando a união de ambos para o surgimento de Khala. Quando conceberam Khala, acreditaram que ele deveria ser criado e então ir para o plano inferior, onde ainda não havia vida. Eles sabiam que nunca chegariam a um acordo sobre como tudo deveria ser criada, então o garoto devia, como elemento neutro, moldar a existência de acordo com o que lhe foi passado. Então, quando era hora do Primeiro Rei partir, Willa chorou, criando os oceanos, onde os seres aquáticos habitariam. Já Das se conteve, e quando Khala finalmente desceu ao mundo, ele criou a lua, o sol e as outras estrelas para que iluminassem ao redor de seu filho. Quando toda a vida tinha sido criada, Khala acenou para seus pais. Essa lenda é o que o símbolo de Willa e Das representa.

Mitologia Khalakin

Goldstein VictorSuzumura